segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Fim de semana produtivo

Sábado ganhei dois ingressos no camarote, do Show da Nova Brasil FM que aconteceu na Arena Anhembi. O show estava marcado para começar às 18 horas, com abertura de Zeca Baleiro. E como os lugares no camarote eram numerados, nem esquentei em sair muito cedo de casa e por isso... me ferrei.

A rua que dá acesso ao estacionamento para o show, aquela paralela ao Anhembi, estava lotada e tudo parado, com o show já rolando. O Zeca foi pontual, às 18 horas comecei a ouvir de dentro do carro a voz do moço no palco.

Entre informações equivocadas da CET quanto aos estacionamentos disponíveis, uma falta absurda de organização e uma confusão generalizada para estacionar, conseguimos chegar ao camarote depois que o Zeca já tinha terminado sua apresentação.

Assim que ocupamos nossos lugares, Nando Reis entra e nos presenteia com uma hora e meia de show... lindinho, um fofo, quando cantou "no recreio" quase morri (rs).

Depois do intervalo, eis que surge um pouco atrasada para variar, a artista cuja presença de palco é inigualável. Maria Rita interpretando velhos e novos sucessos! Dancei e me acabei de tanto cantar, uma hora e meia de um show delicioso.

Depois fui para casa, pois não estava a fim de ver Jorge Ben. Não curto.

No domingo, me aventurei pelas estradas empoeiradas de Cipó-Guaçu, fui no aniversário da filha de uma amiga querida.

Estive num lindo condomínio fechado de chácaras. Fiquei encantada com a beleza natural do lugar cheio de esquilinhos, dizem que tem até macacos. Uma represa enorme completou o cenário paradisíaco.

Acho que encontrei o lugar onde quero construir o meu “ranchinho amarradinho de cipó”... rs


Meus agradecimentos:

Lú, obrigada pelos convites.
Semi, a festa estava ótima e sua família é linda.
Tê, obrigada pela companhia.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Dia do Psicólogo

Amanhã é dia dos doutores da alma, é dia do psicólogo!

Eu sou suspeita para falar do assunto, mas admito que no auge de minha ignorância, antes de aprender um pouco mais sobre a psicologia, eu achava que psicólogo era apenas médico de doido, achava que era uma profissão inútil, profissão para quem não sabia ao certo o que queria da vida... errei feio.

Quando me tornei amiga-irmã de uma pessoa que considero guerreira, brilhante, esforçada, estudiosa e apaixonada pela psicologia, comecei a buscar mais conhecimento sobre o assunto e digo de boca cheia, sem medo de errar que esta é uma das profissões mais bonitas que existem.

Tudo bem que tenho como parâmetro a melhor profissional de São Paulo. Estou falando muito sério, não estou enchendo a bola dela à toa. Prestem atenção, são 3 pós-graduações (psicologia hospitalar, avançado em psicologia hospitalar e luto.

Quem é que escolhe cuidar do outro enquanto ele sofre dores físicas num leito de hospital? Quem é que gostaria de trabalhar com pacientes terminais? Quem escolhe para si, ajudar o outro no pré e pós luto??? E ainda arranja tempo para atender em seu consultório particular. Eu jamais faria esta escolha para minha vida profissional, não teria estrutura para isso. Mas ela escolheu, é uma psicóloga apaixonada pelo que faz, é competente, humana e dona de um coração singular.

O nome deste ser iluminado é Stella Ramos Pereira.

Minha amiga, parabéns pelo seu dia!


Obs.: Quem quiser conhecer o blog dela é só acessar construindosentidos.blogspot.com

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Sonho não vivido pode virar frustração

Hoje no percurso do trabalho, ainda dentro do metrô, havia um rapaz com um violão e uma linda voz tentando ganhar um trocado. A música que tocava naquele momento era In My Life dos Beatles... Descobri que é uma delicia ouvir Beatles pela manhã e vou fazer mais isso.

Passei por ele sem tempo para admirar sua arte, estava em cima da hora, mas aquela situação me remeteu algumas lembranças, principalmente de tudo que eu já quis ser.

Sempre gostei de cantar, fiz aulas de canto e participei do grupo de louvor de uma igreja que eu frequentava. Ainda quero aprender a tocar violão, tive algumas aulas e parei, este projeto tenho que retomar.

Quando criança queria ser médica, cheguei até a prestar vestibular para medicina na USP, mas havia saído do ensino público e não me dediquei o suficiente para conseguir ocupar uma vaga tão disputada. Hoje sei que não daria certo... rsrsrs.

Na verdade prestei medicina por prestar, pois a profissão que sempre deu um calorzinho aqui dentro do peito é o jornalismo. Nunca pensei em exposição na tv ou rádio, meu negócio era escrever, ficava me imaginando com alguma coluna fixa num jornal de grande circulação, lançando livros, enfim... sonhos.

Mas por questões particulares acabei cursando Direito. E confesso que sou um pouquinho frustrada com minha graduação, não gosto do meio, da prepotência que a profissão carrega, mas já foi. Agora tenho planos de correr atrás e fazer uma pós em Jornalismo Literário, simplesmente por realização pessoal.

Já tenho minha profissão fora do direito e estou satisfeita com ela, porém existe uma lacuna por um sonho não realizado, algo que eu sempre quis e não consegui. Quero resolver esta questão de alguma forma, pois não me agrada olhar para trás e enxergar lacunas.

Por isso caro leitor, sonhe e realize, pois sonho não vivido pode virar frustração.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Registro do 3º encontro com o pessoal do Curso de Teatro para Não Atores

Descobri que é fácil ficar com saudades de vocês... rs

Em pé: Camila, Stella e Bruna
Sentadas: Joana, Eu, Karla e Karina

Os galãs da foto: Danilo e Victor

Obs.: Rafa e Sergio também estavam presentes, na próxima reunião tiro foto deles... rs

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

"Assim é que se faz"

Moça, Olha só, o que eu te escrevi
É preciso força pra sonhar e perceber
Que a estrada vai além do que se vê

Sei, que a tua solidão me dói
E que é difícil ser feliz
Mais do que somos todos nós
Você supõe o céu
Sei, que o vento que entortou a flor
Passou também por nosso lar
E foi você quem desviou
Com golpes de pincel

Eu sei, é o amor que ninguém mais vê
Deixa eu ver a moça
Toma o teu, voa mais
Que o bloco da família vai atrás

Põe mais um na mesa de jantar
Porque hoje eu vou "praí" te ver
E tira o som dessa TV
Pra gente conversar
Diz pro bambo usar o violão
Pede pro Tico me esperar
E avisa que eu só vou chegar
No último vagão

É bom te ver sorrir
Deixa eu ver à moça
Que eu também vou atrás
E a banda diz: - assim é que se faz.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Gratidão e Respeito

Eu que me julgo muito dona do meu nariz, às vezes percebo que não sei nada.

Como qualquer pessoa, quero ser feliz... sei em qual situação me sinto à vontade, livre, completa, meu corpo e minha mente me contam quando estou em minha morada.

Ali não preciso atuar, não preciso ficar cheia de dedos, posso ser eu e gosto tanto de mim naquele momento.

Alguém um dia me ensinou que gratidão e respeito são essenciais para pessoas de bem. Hoje sou grata e sei respeitar... mas isso me prende num mundo que não é o meu.

Pensando no outro, me privo de viver por completo a MINHA VIDA.

Quem sabe isso quer dizer amor

Cheguei a tempo de te ver acordar
Eu vim correndo à frente do sol
Abri a porta e antes de entrar
Revi a vida inteira

Pensei em tudo que é possível falar
Que sirva apenas para nós dois
Sinais de bem, desejos vitais
Pequenos fragmentos de luz

Falar da cor dos temporais
Do céu azul, das flores de abril
Pensar além do bem e do mal
Lembrar de coisas que ninguém viu
O mundo lá sempre a rodar
E em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor,
Estrada de fazer o sonho acontecer

Pensei no tempo e era tempo demais
Você olhou sorrindo pra mim
Me acenou um beijo de paz
Virou minha cabeça

Eu simplesmente não consigo parar
Lá fora o dia já clareou
Mas se você quiser transformar
O ribeirão em braço de mar

Você vai ter que encontrar
Aonde nasce a fonte do ser
E perceber meu coração
Bater mais forte só por você
O mundo lá sempre a rodar,
E em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor,
Estrada de fazer o sonho acontecer

Coisas que permanecem

Hoje ao olhar pela janela, notei que o sol estava ali e mesmo com o frio, ele veio para iluminar e tentar aquecer as pessoas que se movimentam pelas ruas do Centro da cidade de São Paulo.

Observei um céu azul e convidativo, cheio de nuvens brancas. Enquanto pensava na vida, olhei para o horizonte, visitei edifícios, viadutos, casas, comércios, entrei na intimidade de um casal que passeava de mãos dadas sem eles nem perceberem.

Aqui do escritório tenho uma vista privilegiada, consigo enxergar longe... pertinho avisto o jardim que fica ao fundo do Pátio do Colégio. Ele está sempre ali à espera da primavera e pronto para nos transmitir um pouquinho de paz em meio a correria do Centro.

Algumas coisas são assim, simplesmente precisam permanecer ali... imóveis, é o caso daquele e de todos os outros jardins que por mais belo que sejam nunca estarão em outro lugar, não poderão embelezar novas paisagens e mesmo assim, oferecem as mais lindas flores.

Para pensar... será que tudo o que aparentemente está em seu devido lugar realmente está? Se houvesse a possibilidade de escolha, algumas coisas permaneceriam intactas?

Sinceramente, acredito que não.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Guns...

Ainda falando um pouquinho de adolescência, mas agora da minha em particular, em 1992 fui ao show do Guns n Roses no Anhembi. Eu era fã incondicional da banda, apaixonada pelo vocalista, mas quem não era? Lindo, loiro de olhos claros, uma voz sensacional.

As paredes do meu quarto eram cheias de pôsteres, todos do Axl, gravava tudo que tocava nas rádios, comprei fitas VHS originais da turnê Use Your Ilusion, colecionei pastas com fotos, enfim, fui fã mesmo.

Me lembro que eu e minha amiga Karina chegamos bem cedo ao Anhembi, conseguimos ficar num lugar bacana, próximo ao palco, ficamos horas em pé até o inicio do show.

Tudo meio assustador, muito álcool, maconha, brigas, coisas que não estávamos habituadas a presenciar, só percebemos que a banda havia entrado no palco quando as pessoas começaram a pular, nos obrigamos a fazer o mesmo para não sermos pisoteadas... rs

Primeira música Nigth Train, roqueiros ensandecidos pulando e batendo uns nos outros, nós duas lá no meio perdidinhas, pulando também. Em meio a confusão roubaram a blusa de frio que minha amiga tinha amarrada na cintura, quando percebemos já estávamos longe do palco sem conseguir ver nada.

Segunda música Mr. Brownstone, a fumaça e o cheiro de maconha incomodava, o calor também, do nosso lado havia um cara lindo e forte, eu espertinha fui para o lado dele e pedi “me levanta?”, na hora me levantou e eu consegui ver o Axl... delírio!

Quando olhei para baixo, percebi minha amiga sem conseguir repirar direito, então pedi que o cara a pegasse também, e foi o que o coitado fez. Ela tentando respirar e ele dizendo “Grita!!! Olha lá o Axl lá, grita!!!”... rsrsrs ela puxava o ar e gritava... Imaginem alguém sem ar gritando... rsrsrsrs

Obviamente o cara também queria ver o show, então na terceira música tivemos que sair da pista e assistir o resto do show através do telão, é mole? rs

Depois da frustração de ter que assistir metade do show mais esperado de minha vida através de um telão, um babaca jogou uma bota no rosto do Axl. Sabem o que aconteceu? Ele simplesmente disse “Good Night, fuck you” e saiu do palco... rs

Assim, fui embora arrasada e esta ficou sendo uma boa história para se contar... rs

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

"Ensaio Sobre a Cegueira"


Você guarda na memória o momento em que começou a perder sua ingenuidade? O momento em que você percebeu que as cores do mundo eram mais intensas do que o delicado rosa bebê que sempre escolhia para vestir?

Vivemos tempos diferentes, a impressão que tenho é que hoje as crianças nascem com uma malícia que em “nossa época” adquirimos apenas no momento certo.

Transar aos onze anos é a diversão da garotada, beijar aos nove então, é obrigatório para não ser careta.

Alguém saberia me dizer o que aconteceu com os limites? Para onde mandaram a magia da descoberta? E a ingenuidade então, alguém sabe onde foi parar?

Concordo que devemos nos preocupar com as manifestações naturais e violentas que tem matado, desabrigado e assustado milhões de pessoas. Sabemos que estas manifestações são consequências de erros do passado, e agora estamos tentando correr atrás do prejuízo com campanhas publicitárias que não resultam em nada.

Continuamos errando mais e mais... desta vez mudamos o foco para nossas crianças. A correção, o diálogo, o tempo para dedicação e carinho, pequenas atitudes que certamente garantiriam um futuro melhor para eles, simplesmente estão escassos. O apelo sexual que existe entre adolescentes e pré-adolescentes faz parte de um mundo desregrado, doente e jogado às traças.

Não há mais tempo para as brincadeiras que fizeram parte de nossa infância... pega-pega, esconde-esconde, polícia e ladrão, cada macaco no seu galho. Tudo muito ultrapassado! E as músicas? Onde jogaram o espírito da minha “Legião Urbana”? O som cheio de ideais de “Cazuza”, os protestos sadios dos “Titãs”, que banda ou que música fala pela nova geração??? "Parangolé" é forte candidato.

Eu prefiro ter cantado “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...”, ao fazer parte de uma geração que procura músicas sem conteúdo (isso quando existe letra), e faz delas o hits do momento, “Se ela dança eu danço”... E dançam mesmo.

Ao invés do cigarrinho de chocolate a maconha, ao invés da amizade sincera o interesse, no lugar do amor o sexo, melhor do que a conquista, a posse.

Estes são os valores distorcidos e deturpados que fazem parte de uma realidade triste.

Mais triste ainda é perceber que aqueles que deveriam amá-las, respeitá-las, ensiná-las e acompanhá-las, muitas vezes preferem fechar os olhos... afinal, já basta o estresse do dia-a-dia profissional, certo? Errado pra caralho!

Meu querido Saramago, infelizmente o “Ensaio Sobre a Cegueira” está mais atual do que nunca, só que agora inclui nossas crianças.

Pra pensar

“Somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter...”

O que limita quem seremos e quais serão nossos objetivos?
Quem pode sabotar nossos planos?

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Aprender, aprender, aprender...


Mesmo com todas as imperfeições que são comuns a qualquer ser humano, estou muito satisfeita com quem eu me tornei (ó eu me achando... rs). Sou uma mulher de bem e me orgulho muito disso.

Bom senso, oportunidade, respeito ao próximo, garra para lutar pelos sonhos e humildade... eis aí, o grande segredo para o sucesso.

sábado, 7 de agosto de 2010

Desabafo


Depois de relutar bastante, entrei em contato com alguns “fantasmas” que infelizmente ainda me assombram, não sei se fiz certo, apenas o fiz sem pensar em possíveis conseqüências.

Como já era de se esperar não obtive resposta alguma... afinal, fantasmas atormentam, incomodam, perseguem, mas normalmente não travam diálogo, apenas observam de longe e quando querem nos emite algum tipo de energia... Aff.

Bom senso, amor, querer bem, saudade, mágoas, esperança, erros, gana, tudo isso tenho de sobra, não sou aquela que meus fantasmas acreditam.

Tentei mostrar isso durante um bom tempo, mas desisti.

Tenho trinta anos, me orgulho por ter lutado para conseguir tudo que tenho... amo minha família, meus amigos, meus cães, sou fiel aos meus amores e tento demonstrar isso de diversas formas, mas sempre há quem não queira ver.

Me orgulho de quem sou, me orgulho do que venho construindo e isso é o que importa.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Encontros e Despedidas

"Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim, chegar e partir..."

Que frioooo

É impressão minha ou chegamos na era do gelo???

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Mudanças

Confesso que estou animada mas com um friozinho na barriga, novas responsabilidades estão surgindo em minha vida profissional.

Continuo desempenhando meu trabalho dentro da empresa que estou desde 2005, porém, hoje tenho sob minha responsabilidade novos projetos e ramificações de um trabalho que certamente produzirá ferramentas para auxiliar o bom andamento das coisas.

Sei de minha capacidade, sou esforçada, corro atrás, me empenho para aprender... mas sou tão ansiosa... rs

Enfim, queria compartilhar este sentimento com vocês. Bora lá que o caminho é longo, mas se eu não precisar percorrer meus caminhos sozinha, tudo ficará mais fácil.

Lá vem o sol...

Dia nublado... coração ensolarado!