sábado, 28 de abril de 2012

O que me faz feliz...

Sempre que tenho meus momentos de imersão, de repensar a vida e reviver cada aprendizado, penso no quanto mudei. Antes de me deparar com o problema sério de saúde que tive, eu vivia diferente, eu encarava as coisas e as pessoas de uma forma diferente, não conseguia receber, muito menos depender de ninguém para nada. Não dava o valor merecido aos gestos de carinho que recebia, tratava tudo de maneira muito racional e como se gestos de carinho fossem uma coisa normal e esperada quando direcionados a mim.

Isso tudo foi se transformando com o decorrer do tratamento, foi mudando com a necessidade que eu sentia de um olhar, de um carinho, com o valor e significado de uma mão segurando a minha, com os sorrisos que recebi, ao ver o empenho das pessoas que gostam de mim em me fazer o bem e não me deixar sozinha... sim, eu fui cuidada como poucos conseguem ser.

Minhas prioridades também mudaram, hoje olho a minha volta, enxergo quem está ao meu lado, e procuro olhar nos olhos das pessoas com quem converso. Sempre que posso paro para assistir o por do sol aqui da janela de casa, tento ajudar quem precisa de mim, procuro não guardar mais nada de ruim aqui dentro e busco a felicidade.

De nada adiantou viver uma vida egoísta, o aprendizado veio depois dos trinta anos de idade... claro que dinheiro é importante, mas hoje, em meu mundo, mais importante do que o dinheiro é o amor.

Acho que por isso a fotografia deu tão certo pra mim... mente, olhos e coração, eternizar momentos e registrar sonhos se realizando ali, bem diante dos meus olhos. Sim, eu tenho o melhor trabalho do mundo!

Quando partimos a única coisa que fica é a nossa história... a palavra dita e as lembranças das pessoas é que nos farão permanecer vivos mesmo depois de mortos. Eu permanecerei viva também nas fotos que tirei, nos trabalhos que entreguei... meu olhar estará por ai para quem quiser me ver e ter um pouco mais por perto.

Recomeçar a escrever o livro da minha vida com uma nova narrativa, com mais figuras em suas páginas, ilustrando e apresentando todas as pessoas importantes, dando crédito a quem merece, colorindo e criando uma capa bem bonita e principalmente, hoje, sabendo que minha história eu não faço sozinha, isso sim me faz feliz.



quinta-feira, 12 de abril de 2012

"Há em tudo que fazemos
Uma razão singular:
É que não é o que queremos.
Faz-se porque nós vivemos,
E viver é não pensar.

Se alguém pensasse na vida,
Morria de pensamento.

Por isso a vida vivida
É essa coisa esquecida
Entre um momento e um momento.

Mas nada importa que o seja
Ou que até deixe de o ser.
Mal é que a moral nos reja,
Bom é que ninguém nos veja;
Entre isso fica viver."

Fernando Pessoa (o homem da minha vida *__*)
15.09.1933

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Fim do dia...

Lençol. Pele. Insônia. Respiração. Silêncio. Escuridão.

Uma parte do todo.

Boca. Desejo. Inquietude. Frustração!

Entre minhas pernas apenas um travesseiro.

Braços fortes para carregar minhas vontades.

Mente sã para alimentar as lembranças.

Corpo lúcido para sentir o peso de nada nem ninguém.

Fim do dia.

Hora de se desligar de tudo e tentar dormir.

terça-feira, 3 de abril de 2012

A falta que você me faz...

E quando sinto o calor do sol batendo em minha pele, me lembro de você... é só fechar os olhos para tudo estar ali diante de mim. O som das nossas risadas, as brincadeiras quase infantis, o jeito tão particular de falarmos da vida deitados na cama, os segredos confidenciados, o desejo em fazer suas vontades, as surpresas de cada dia, a torta de limão mais deliciosa... tudo está de volta, tudo que nunca se foi.

E quando sinto frio, daqueles capazes de arrepiar a pele, também me lembro de você... das suas mãos geladas tentando se aquecer em meu corpo quente, do seu cheiro no travesseiro, de como você fica lindo no inverno com a ponta do nariz vermelha, do seu sorriso, do romantismo raro, das noites de insônia mais proveitosas de minha vida, que passei te vendo dormir.

E assim passo pelas estações, sentindo calor, sentindo frio, não sentindo nada além da falta que você me faz.

Escrito ao som Monique Kessous - Frio